The Crew - Um ótimo game, mas não entrega o prometido.

@uroichy-san

 2014, um dos anos mais fracos para a industria dos games, e um ano que decepcionou muita gente pelos grandes títulos prometidos, que chegaram sem nada, ou muito diferentes do que foram prometidos. E não foi diferente com The Crew, um título anunciado em 2013, e que decepcionou bastante nesse quesito, mas que até consegue ser bem interessante para o gênero de jogos de corrida.

 Para começar, a ambientação, The Crew entrega o mapa dos Estados Unidos para ser explorado livremente, 5.000 Km² quadrados para serem explorados sem limitações. Desde o começo o jogador está livre para ir aonde quiser, sem aquelas limitações de paredes invisíveis, ou da polícia vindo atrás de você como em GTA.

 Ainda falando do mapa, The crew possui um mapa vasto, onde o jogador, se decidir seguir a história, poderá percorrer de estradas asfaltadas, a estradas de terra, e até sair completamente da estrada. Áreas de deserto, montanhosas, vastas planícies, tudo fica ali, livre para ser acessado pelo jogador e explorado. Ainda, há espalhados pelo mapa alguns carros acidentados, que quando encontrados dão uma 'parte de carro' ao jogador, que quando encontra um certo número dessas partes recebe um carro novo, podendo encontrar um carro de cada categoria do jogo.

Vou começar pelos pontos negativos para não ofuscar os positivos.

 Primeiro é interessante observar a capa do jogo, em que temos a mesma frase da propaganda da E3, que diz 'never drive alone', ou seja 'nunca dirija sozinho', que, para dizer o mínimo, é a única coisa a se fazer para alguma diversão.

 O game se vendeu com a proposta de ser uma experiência online onde você se conectaria e poderia, junto com seus amigos, formar grupos de até 6 jogadores, números podem variar de acordo com a versão, e jogar a campanha normalmente, com diversas outras equipes pelo mapa, e poderiam até desafiar outras equipes, com modos PVP, eventos de clã, etc. Enfim, The crew prometeu uma experiência online completa, que, na verdade até em jogos atuais, nunca aconteceu, mas onde exatamente está o problema?

 O que acontece com esse game é que o mapa é vazio, falando de outros jogadores, por diversos motivos, talvez pelo preço, talvez pelos gráficos, mas é muito difícil encontrar outras pessoas jogando The crew, e quando você encontra não há nada que te instigue a ir até essa pessoa e queira interagir, no máximo você poderá desafiá-la num evento, mas mesmo isso não oferece nenhuma recompensa significativa para o vencedor. Ainda com relação ao mapa, os eventos de equipe são longos demais, alguns exigindo mais de uma hora para serem completados, o que não funciona num jogo onde raramente há mais de dois ou três jogadores na sua visão, e ai que vem o maior problema no mapa de The crew.

 O mapa possui algum tipo de bug, ou talvez uma burrice artifical, em que ele só mostra com prioridade os seus amigos. Ao contrário da propaganda, você não vai encontrar outras pessoas pelo mapa livremente o tempo todo, apenas seus amigos terão destaque nos indicadores. Sim, sempre terá um jogador aleatório no mapa, mas é como eu disse, não será mais do que dois ou três, e muitas vezes eles aparecem e desaparecem tão rápido que parece mais que alguém abriu o jogo sem querer.

 Outro ponto chato em The crew certamente são as perseguições policiais, pois são fáceis de forma exagerada. Sofrendo do mesmo mal de Need for Speed, principalmente o Most Wanted, em The crew a polícia vem atrás de você após você cometer infrações demais, como bater em muitas cercas ou outros carros quando há uma viatura a certa distância, ou após você bater numa das viaturas que andam pelo mapa, e sim, eles também vem para cima de você agressivamente e tem a intenção de te parar para prendê-lo, e os carros vão ficando mais agressivos e mais velozes conforme o tempo e o nível de procurado aumentam.

 Contudo, assim como no game da EA, em The crew também é um pesadelo passar do nível dois de procurado, pois, enquanto com apenas duas estrelas, as viaturas são literalmente burras, pois batem em carros nas pistas quase vazias, saem da estrada e perdem embalo, ou até batem e sofrem dano fatal, o que te obriga a ficar parando ou apenas desacelerando para não sair da zona de perseguição, e se, mas não é garantia, conseguir atingir a quarta estrela, então a perseguição pode se tornar mais interessante, mas isso é bem difícil, e bem chato de se fazer.

Imagem de PC fraco

 Para encerrar os pontos negativos, dois pontos que são os piores, impossíveis de não se observar. Primeiro, a proporção das coisas, mais especificamente das cidades. A ubisoft prometeu um mapa dos EUA construido para nós explorarmos, e os primeiros trailers nos mostravam cidades exuberantes e vivas, mas não recebemos isso, pois as casas e prédios destoam muito do cenário, e os carros, quase sempre, são estranhos e parecem mais pedaços de cartolina parados em uma maquete mal feita.

 E o segundo, é algo que é mais pessoal, mas talvez alguém também tenha passado por isso. The crew é um jogo pago, todos sabem disso, e nunca foi muito barato, mesmo após o fracasso nas análises especializadas, mas ainda sim era um game promissor se esquecermos as promessas, e mais ainda para quem tinha um PC mediano, pois era um jogo de corrida bem grande para se jogar, que foi o meu caso. Mas quando a ubisoft lançou a expansão Wild Run, que atualizou o jogo gráficamente e adicionou algumas coisas, os PC's mais fracos perderam a capacidade de rodar o jogo, eu mesmo fiquei os últimos anos sem acesso a ele, pois meu pc era fraco e eu não pude mais acessar. Deixando claro o ponto, você pagar mais de 100 reais em um game online para receber uma atualização gráfica que você, que pagou, não queria, e assim perder o acesso ao game, é errado, especialmente quando falamos de um jogo que já era fraco, e ainda perde o público que joga com configurações no mínimo. Não tenho nada contra melhorias, mas em jogos online pagos é preciso um estudo maior para fazê-las, pois quem paga não tem que perder o acesso ao game por atualizações desnecessárias.

 É preciso dizer, os pontos positivos do jogo se aplicam mais aos que esquecem das promessas e do que o jogo deveria ter sido.

 É preciso dizer, os gráficos de The crew na atual geração de consoles, e nos PC's, está lindo, chuva, relâmpagos, os efeitos de sujeira no carro, os amassados, tudo está muito melhor hoje do que no lançamento, tornando o game muito mais agradável e chamativo.

 A personalização também é bem vasta, permitindo um grande número de possibilidades de personalização, tornando cada carro bem único. É uma pena que isso não se aplique a performance do carro, apenas ao visual.

 Um ponto muito positivo no mapa, a imensa quantidade de mini games espalhados. Nada de loadings, são eventos do tipo radar de velocidade, destrua tantos obstáculos, corra o mais rápido que puder sem sair da pista, salte o mais longe que puder, entre vários outros. Ao ver o ícone é só encostar nele e o evento se inicia, e o mais interessante é que o recorde fica marcado, podendo ser batido por qualquer um que passar, mesmo sem o acesso pela live gold.

Dirt

 Os carros e as modificações possíveis são, sem dúvida, o ponto alto do game. Com as opções de Street, Performance, Dirt, Raid, e Circuito, que trazem uma dinâmica única em cada uma delas, e dão ao jogador a possibilidade de explorar mais um estilo do que outro.

 Primeiro a modificação Dirt, que são os carros modificados para as estradas de terra, possuem boa suspensão e são carros que aguentam saltos insanos e derrapam muito, o que lhes concede agilidade muito boa e são bem divertidos de se usar nas regiões montanhosas.

Street

 Carros street, ou como eu gosto de comparar, carros do velozes e furiosos. São carros feitos para as corridas de rua, dentro de cidades, ou para as viagens entre cidades, com capacidade de alcançar velocidades maiores que os Dirt, são mais ágeis no trânsito, e sua velocidade mediana lhes concede um alto controle por parte do jogador.

Raid

 Sendo curto e grosso, carros Raid são feitos para apanhar. São carros altos e com suspensão muito forte, capazes de ir onde nenhum outro carro conseguiria, possuem tração integral e são os mais lentos do jogo, por isso mesmo são feitos para sair da estrada, literalmente. Você viu uma montanha e quer ir até o topo? É bem simples, pegue seu melhor carro Raid e apenas vá!

Performance

 Velocidade? É isso que você quer? Então se aperfeiçoe nos carros performance, que são os carros feitos para grudar no asfalto. São baixos, dai o termo, e possuem motores com muitos HP, capazes de bater facilmente os 300 km/h, variando conforme as modificações do jogador. O controle desses carros não é o melhor, e bater com eles é muito fácil dentro de cidades e regiões com estradas mais simples, mas são perfeitos para cortar grandes distâncias em menos tempo do que seria com um carro street.

Circuito

 Baixos, rápidos, e frágeis, essa é a melhor definição para os carros circuito. Eles são os carros feitos para correr em asfalto perfeito, ou seja, são carros para corrida, como o nome diz, de circuito, pistas fechadas. Possuem a maior potência de todas, e os mais básicos batem facilmente os 300 km/h, passando disso sem esforço com as modificações mínimas, mas são bem frágeis, e perder o controle com eles é certo nas curvas mais abertas.

 The Crew não cumpriu com o prometido, não conseguiu entregar uma experiência online do nível que queria, e nem nos trouxe aquele mundo vivo e dinâmico que vimos nos trailers. Mas sim, ele é um ótimo jogo de corrida, apesar de não ser a prometida, a conexão online é bem estável, e considerando a decepção que a franquia Need for Speed tem sido nos últimos anos, e que a franquia Forza Horizon não possui um mapa tão vasto, é preciso admitir, jogos de corrida arcade estão nas mãos de The Crew e Forza Horizon nos últimos anos, e ele não é diferente da franquia da Microsoft, mas nos traz um tipo de experiência que precisamos, e queríamos a muito tempo.

 Com uma dinâmica de terreno que muda completamente da terra para o asfalto, e uma jogabilidade que mistura bem o estilo arcade com alguns critérios de simulação, The Crew falha feio nas promessas que fez, mas ainda sim nos entrega um bom jogo de corrida, que cumpre seu papel como jogo descompromissado, e faz isso nos deixando livres num mapa tão grande que é difícil apenas olhar para os gráficos e esquecer do resto, pois seja dos pântanos da Flórida, ou das montanhas na costa oeste, a Ubisoft acabou nos entregando um jogo divertido e que supre uma lacuna deixada pela EA no coração dos jogadores desde o PS2, então, uma sugestão, deixe o preconceito de lado, e comece imediatamente a explorar o mapa dos Estados Unidos, por terra, lama ou asfalto, The Crew é a pedida certa para os fãs do gênero corrida.

PLATAFORMAS: PS4, Xbox One, Xbox 360, Steam, Uplay.

NOTA: Um mito que se perpetuou, dizem que precisa da Live Gold, é mentira, ele exige apenas conexão com a internet, mas não é necessária a Live Gold para jogar, a menos que se queira jogar Online. E ainda, atualmente há a categoria Dragster, Monster Truck, e Motos, mas são de DLC's, então não achei viável falar delas nesta análise.